REA DO ASSINANTE
Cadastro Gratuito



O que é um Leilão Judicial de Imóveis

LEILÃO JUDICIAL DE IMÓVEIS

SEGURANÇA – RENTABILIDADE - PRATICIDADE

 
Mensalmente, dezenas de imóveis vão a leilão judicial pelas mais diversas razões.  Mais importante do que saber por qual motivo foram a leilão é saber que é possível arrematar um desses imóveis (casa, terreno, apartamento, galpão, etc.) por um valor bem abaixo do seu valor de mercado.
 
SEGURANÇA – Arrematar imóveis em leilões judiciais é extremamente seguro, pois quem está lhe vendendo o imóvel e irá lhe entregar é o poder judiciário, representado pelo Juiz de Direito. Daí, não é necessário exigir Certidões Negativas dos vendedores, lavrar escritura, etc. Contudo, há que se tomar algumas precauções antes de participar do leilão, pois presume-se que o arrematante tem conhecimento de eventuais dívidas que pesam sobre o imóvel e que tem que ser consideradas antes da arrematação.
 
RENTABILIDADE – Arrematar imóveis em leilões judiciais é muito rentável, porque a avaliação técnica feita para fins de leilão judicial segue critérios diferentes da avaliação de mercado. Na diferença entre uma e outra interfere também o fator tempo. Ou seja, entre a avaliação e a realização do leilão ocorre um espaço de tempo que pode chegar a anos. Quando o leilão é realizado, a avaliação é apenas atualizada monetariamente sem incorporar a valorização dos imóveis no período. 
 
Nos últimos três anos, por exemplo, os imóveis em São Paulo obtiveram uma valorização média de mais de 80%, o que torna os leilões judiciais de imóveis extremamente atrativos, pois não incorporaram essa valorização.
Outro fator que aumenta, em muito, a rentabilidade que se pode conseguir nos leilões judiciais é o segundo leilão ou 2ª praça, onde os imóveis podem ser arrematados a partir de 60% do valor da avaliação atualizada. Isto ocorre porque, na justiça, são designadas 2 (duas) datas para a venda em leilão: a 1ª pelo valor da avaliação e a 2ª por 60% da avaliação no mínimo.
Assim, é possível e fácil comprar um apartamento por 50% do valor real ou valor de marcado, ou seja, a rentabilidade pode chegar a 100% sobre o capital investido. O tempo ou o período necessário entre a arrematação e a liberação do imóvel é em torno de 6 (seis) meses.
 
Não é um bom negócio?
 
PRATICIDADE – A praticidade vem dos serviços que ofereçemos. Na verdade, antes de ofertar lance num leilão judicial, é necessário tomar uma série de cuidados. O principal é analisar detalhadamente o processo judicial e verificar se foram cumpridas todas as etapas necessárias à perfeita realização do leilão; verificar...; verificar....; verificar... para não ser surpreendido com recursos que impossibilitem a posse do imóvel e/ou exigências do Registro de Imóveis que dificultem ou impossibilitem o registro da arrematação.
 

Mesmo advogados experientes têm dificuldades em lidar com as situações que podem ocorrer após uma arrematação judicial. Para não sofrer dissabores é necessário certificar-se de estar assessorado por profissionais, como nós, que possuem larga experiência em arrematações, que evitarão que o dinheiro do investidor fique preso aguardando decisões judiciais.

Fonte: http://site.aasp.org.br/leiloes/8836/Principal/
Data: 05/04/2012 12:52:45